class main AboutMe { exec(); }
You could be my unintended
Choice to live my life extended
You could be the one Ill always love
You could be the one who listens to my deepest inquisitions
You could be the one Ill always love

«very ugly moment»

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 30/11/06 01:48

Há bem pouco tempo ainda, pensava que a palavra assertividade era sinónimo de "uma pessoa regular, que faz coisas de forma certas", mas estava profundamente enganado. A assertividade é "pour ainsi soit dire", uma forma de saber comunicar, dizer o que se pensa nem no entanto ferir o outro.
Como em qualquer processo comunicativo existe um emissor e um receptor. O processo de comunicação existe através de comunicação verbal (incluindo o silêncio) ou gestual; mas isso toda a gente sabe.
As subtilezas da linguagem e da nossa mente levam-nos a reagir de uma determinada forma consoante uma determinada frase ou comportamento. Esses podem ser: passivos, assertivos ou agressivos. A assertividade é um tipo de equilíbrio entre "deixa estar" e a agressividade.
O que é ser agressivo? Apesar de ter um nome, ela pode encarnar-se de várias formas tal como: violência psicológica, física (as mais óbvias claro), mas como também é comportamento agressivo uma pose (punhos fechados, braços cruzados), uma resposta seca e curta como por exemplo:

A - "Que frio, estou cheia de fria, não me queres aquecer um pouco?"
B - "não."

Pois é, um simples não, ou resposta curta pode ser considerada como agressividade pelo interlocutor. Querem mais?

A - "Hoje pensei em ti todo o dia, mal cheguei a casa, escrevi um poema para ti. Diz-me o que pensas"
Após leitura...
B - "Nada de especial, já vi melhores.... "
Claro, estes são exemplos um pouco exagerados, onde existe alguma agressividade por parte do elemento "B", no entanto ele pode muito bem não dizer sem nenhuma maldade (não confundir maldade com agressividade), apenas diz o que pensa sem preocupar-se com o que pode sentir "A". Isso é o principio básico da assertividade!
Este tipo de comportamentos é mais notável em seres Humanos do género masculino visto terem por norma menos sensibilidade do que as mulheres, no entanto é algo que pode ser encarado de forma generalizada a toda a população, porque nunca ninguém é SEMPRE assertivo. Podemos é ter atitudes assertivas ou não :)

Esta forma de comunicar não é de caso algum um meio para não dizer as verdades, mas sim uma técnica para dizer o que pensamos sem no entanto ferir os outros. Por exemplo, retomando os exemplos anteriores, mas desta vez com respostas um pouco menos agressivas:

A - "Que frio, estou cheio de fria, não me queres aquecer um pouco?"
B - "Neste momento não posso, estou eu próprio congelado."
Ou seja, o objectivo é dizer o que pensamos, mas justificar de forma a outra pessoa entender o porquê da nossa resposta. O simples facto de explicar leva a compreensão, evitando assim um corte na comunicação.

A - "Hoje pensei em ti todo o dia, mal cheguei a casa, escrevi um poema para ti. Diz-me o que pensas"
Após leitura...
B - "Não é propriamente um Eugénio de Andrade, mas agradeço e reconheço o teu esforço. Obrigado"
Aqui, em vez de simplesmente rebaixar a pessoa, podemos dizer que de facto existem melhores poemas (apesar de não se justificar comparar com outros elementos), agradecendo e valorizando o esforço.

Na minha tentativa de entender melhor este conceito, descobri um texto sobre assertividade conjugal num "blog" que gostaria de partilhar com vocês:


ASSERTIVIDADE CONJUGAL

Numa relação amorosa é importante que as pessoas consigam comunicar eficazmente. E isso só é possível se os membros do casal estiverem aptos a utilizar determinadas habilidades sociais, como a assertividade e a resolução de problemas.

Embora esteja cada vez mais difundida, a assertividade continua a não fazer parte do léxico de muitos portugueses. Importa, por isso, defini-la:

Assertividade [conjugal] é a expressão directa, honesta e clara de sentimentos, pensamentos, necessidades e opiniões, sem ferir, humilhar ou faltar ao respeito de forma intencional [ao cônjuge].

Embora possamos dizer que existem pessoas mais assertivas do que outras, importa, desde já, salientar que ninguém é sempre assertivo. No entanto, a capacidade de implementar comportamentos assertivos constitui uma grande vantagem para atingir o sucesso no plano conjugal. Assim, os casais mais felizes são aqueles que mais desenvolveram esta habilidade e que a usam na maior parte das suas interacções.

Como referi atrás, o comportamento assertivo implica honestidade e clareza. No entanto, a assertividade não pode ser confundida com a frontalidade a qualquer preço. A segunda postura é mais agressiva, hostil e violadora dos sentimentos do interlocutor.

Por outro lado, para que um comportamento seja classificado de assertivo, é importante que a honestidade não seja acompanhada de grandes níveis de ansiedade. Isto é, os membros do casal devem ser capazes de expor pensamentos, opiniões ou necessidades sem experimentar angústia.

Assim, uma pessoa assertiva deve ser capaz de:

  • Expressar as suas opiniões, mesmo que estas sejam diferentes das do cônjuge. Ao fazê-lo, não deverá sentir-se nervosa. Uma pessoa assertiva reconhece o direito à igualdade, pelo que lida de forma eficaz com a diferença de opiniões. Reconhece que a assertividade é a forma mais eficaz de encontrar consensos ou, simplesmente, aceitar as diferenças.

  •  Dizer não a um pedido do cônjuge, desde que o considere injusto. Amar alguém não deve implicar o recurso a comportamentos submissos. A capacidade de dizer não, acompanhada de uma justificação legítima, não abala o romance. Pelo contrário, impede que os membros do casal acumulem frustrações ou se anulem na relação conjugal.

  • Receber e fazer elogios. Uma pessoa assertiva reconhece a importância dos elogios, pelo que não perde uma oportunidade para valorizar os comportamentos positivos do cônjuge. Não se centra apenas nos erros do companheiro, pelo que promove a sua auto-estima. Demonstra, assim, a capacidade para observar os erros mas também os bons actos.

  • Fazer comentários negativos legítimos. Há muitas formas de criticar – algumas mais construtivas do que outras. Uma pessoa assertiva não tem medo de criticar o seu cônjuge, pois fá-lo sem qualquer tipo de humilhações. A hostilidade é substituída pela capacidade de criticar um erro específico, acompanhada pelo reconhecimento dos esforços já efectuados pelo cônjuge.

Quando uma pessoa não é capaz de ser assertiva, recorre a um de três tipos de comportamentos: passivo, agressivo ou manipulativo. Mas sobre isso “falaremos” outro dia…


Texto retirado de: http://apsicologa.blogspot.com
No seguinte URL: http://apsicologa.blogspot.com/2006/04/assertividade-conjugal.html

Este texto (o meu) não pretende em caso nenhum ser uma crítica, mas sim falar sobre algo que me marcou não só por eu não saber o que era exactamente, como também pelo seu carácter bastante complexo e fascinante. Sei que tal como eu (não é Nuno :P) há pessoas que não sabem o que é assertividade, esperando dar outra visão sobre as nossas vidas e da forma como lidamos com os outros :)

Ruben - num momento bastante profundo :P

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 24/11/06 03:48



http://blaugh.com/2006/11/22/heart-shaped-blog/

trackback: funcionalidade de blogs com plataformas decentes que permite a qualquer outro blogger de inserir no seu blog o conteúdo do outro através de referências.

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 23/11/06 14:59

Neste mundo feito de noites, penso em ti,
Desejo um dia ver o calor quente do sol dentro de mim,
Penso e vivo, procuro aliviar a minha dor,
Esperando pelo sentimento ardente de um novo amor.

Meu anjo, sei que estás por perto,
Sei que a minha felicidade depende mim,
Mas nunca deixarei de sentir esse aperto,
Essa chama que desde sempre reside em mim....


Há algum tempo que estava sem "inspiração" para escrever. Hoje, senti a necessidade de exteriorizar o que me vinha na alma... Esta amostra de poema pode ser lida com esta música como fundo: U2 & GreenDay: "the Saints are Coming"

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 22/11/06 02:11

Faltam apenas dois dias... Mas dois dias para quê? Bem, tal como aconteceu o ano passado, estou a angustiar os meus anos... Dentro de dois dias vou mais uma vez somar mais um dígito ao meu número de anos.
É tão estranho é um pouco como a mudança de ano. Quando começamos em habituar-nos em dizer 2005, passamos logo para 2006. Neste caso é semelhante, mas em pior, porque se trata da minha vida... Os anos passam e eu envelheço, fico mais maduro. Brevemente vou começar a ter rugas, em ter comportamentos e atitudes de gente adulta, vou deixar de dizer asneiras, ter cada vez mais responsabilidades.... Não é que tenho medo, mas gosto tanto dos meus 25 anitos... E o próximo passo é a meta dos 30. Olho para trás, vejo tudo o que fiz. Parece uma montanha, mas o meu desejo é muito maior... Parece que ainda não fiz nada, quero mais, quero viver, mas de 12 em 12 meses o relógio bate tal um prédio que se desmorona  recordando-me o pacto que fiz quando entre neste mundo... Cada batimento deste relógio aproxima-me do meu fim...

O que vale, é que este sentimento passa no dia 25 de Novembro :P
Até la, meus amigos!



Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 22/11/06 02:05

Já sei o que vou pedir ao pai natal... Ou talvez nos meus anos... Por falar em anos, estou quase a fazer anos (dia 24 de Novembro), por isso se quiserem contribuir para a minha prenda sempre podem enviar-me cheques (desde que tenham cobertura), transferências bancárias (aprecio ainda mais, assim o dinheiro caí directamente na conta :P), ou então directamente isso: Wii:



Wii da Nintendo....
(eu sei que as Mulheres não compreendem isso...
Só mesmo um cérebro masculino pode realmente achar isso bom... :P )


Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 19/11/06 15:47

.


Borat - O filme
(está quase nas salas portuguesas...)
wikipedia

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 19/11/06 15:29



Sem comentários...

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 17/11/06 17:21

Em finais de Setembro saíu para o mercado mundial uma máquina fotográfica de 160 Megapixeis. 160 Megapixeis... Isso é muito ou é pouco? Alguns dirão “oh my god! It's hudge” e outros, até perguntarão o que é um Megapixel...
Não vou fazer notícia de nada, visto ter tirado esta ideia num artigo do slashdot do dia 25 de setembro. Mas sim, explicar o que raio é UM MEGAPIXEL!

Começar por começar, vamos então entender o que é um pixel. Nada mais, nada menos do que a unidade mais pequena de uma amostra de imagem digital. Podemos comparar um pixel a um “ponto”. Apesar de ser uma definição bastante reduzida acaba por englobar tudo. Desde de imagens (aquelas que encontramos na Internet, fotografias etc... ), televisores LCD, monitores (CRT e LCD),  visores de equipamentos electrónicos (máquinas fotográficas, consolas portateis etc..). Ou seja, a união de pixeis permite a visualização de uma imagem (seja ela animada ou não).



Agora, que já sabem o que é um pixel, vamos então ver que raio é o MegaPixel! Para entender, vamos decompor a palavra: Mega + Pixel.
Mega: prefixo do sistema internacional de unidades. Ou seja é uma unidade de medida (como por exemplo o quilo ou o litro), que representa 1 milhão. Ou seja, um megabyte= 1 milhão de bytes, logo um megapixel = 1 milhão de pixeis. (wikipedia)

Agora, que já sabemos o que é um megapixel (1 000 000 pixeis), talvez o melhor seria o seu significado em termos práticos. Aproveito por dizer que nem todos os pixeis são quadrados... Mas isto não interessa para hoje. Vamos orientar o nosso discurso para o mundo da fotografia.
Já vimos que o megapixel numa máquina fotográfica representa o número de pixeis que ela consegue suportar. Por exemplo, uma máquina digital que consegue produzir uma imagem de 2048x1536 pixeis tem aproximadamente 3.1 megapixel (digo aproximadamente porque nem sempre conseguem aproveitar toda a capacidade da máquina, está também relacionado com arredondamentos, e tem igualmente a ver com outras componentes da máquina em si, tal como o CCD ou o CMOS, mas já é muito técnico...)
Ou seja, um mp (Megapixel), corresponde a uma imagem de 1155x866 pixeis. Porque 1155 x 866=1 000 230 pixeis.
Facil! Dirão os mais facilitados em matemática, mas se 1 mp = 1155x866 e que 3.1 mp= 2048x1536, há algo que não está bem, porque 3 mp é três vezes maior do que 1 mp, e [(1155 x 866) x 3] = 3465x2598! E não aquele número...
Bem visto, porque na realidade 2 mp não é o dobro de 1 mp! Por exemplo, regressando ao exemplo anterior, onde vimos que 1 mp x 3 era igual a 3465x2598, se realizarmos a multiplicação entre os dois números poderemos constatar que na realidade representa 9 mp (9 002 070 pixeis)!

....

Acho que já confundi alguns :P Mas é muito simples entender! Um mp é uma unidade relacionada com uma matriz (800x600) e o aumento de mp é na realidade um aumento de resolução através da matriz, ou seja um  aumento da matriz! Por exemplo, se quiser multiplicar por 3 a resolução do meu monitor terei que fazer fazer: 3*(800x600) ou (3*800)x(3*600) ? Então, algum palpite? :P
Claro, que se trata da segunda forma, porque da primeira forma tinha 1.440.000 pixeis, e na segunda já tinha 4.320.000 pixeis, o que representa realmente um aumento multiplicado por 3 da resolução....

Ao seja, se tiver uma máquina de 5 mp, e que estão tentados pelas máquinas a 10 mp, porque pensam que tem o dobro da capacidade, espero que tenham entendido que na realidade apenas se trata de mp, e não do dobro da resolução na prática... Acaba por ser uma confusão matemática que ajuda em muito as técnicas de marketing. Voltando a notícia, uma máquina de 160 mp consegue quantos pixeis? Aqui surge uma boa pergunta, visto o formato da imagem poder variar (por exemplo, 4:3 ou 16:9) logo, o calculo inverso não é assim tão simples... De qualquer forma, aqui vai algumas das capacidades técnicas desta fantástica máquina fotográfica: 21250x7500 pixeis (159 375 000 pixeis), com imagens na ordem dos 922Mb (em formato tiff, ou seja não tem compressão) com preços entre: 26900€ (para a versão estúdio) e 28900€ (para a versão móvel). Podem ver mais informações em: http://www.roundshot.ch/xml_1/internet/de/application/d438/d925/f934.cfm

Mais uma coisa, com alguns truques, qualquer máquina consegue tirar fotografias com o número de pixeis superior ao número máximo da máquina em si. Por exemplo, o Scott Howard conseguiu uma fotografia na ordem dos 720 megapixeis.... Sim, leram bem... E apenas com uma Canon 10D de 6.3 mp. Alias, podem confirmar com os vossos olhos neste site: http://www.docbert.org/SydneyByNight/

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 17/11/06 17:00

Após os pedidos exaltados, multidões a porta de casa aclamando o meu nome e reclamando o regresso imediato dos comentários do meu site, decidi actualizar a programação e assim permitindo a todos vocês a vossa devida liberdade de expressão.
Aproveitei para efectuar algumas alterações: Tirei o limite dos 500 caracteres e adicionei um campo que permite inserir o URL da página web do meu caro visitante (o google é que vai apreciar :P)

Já sabem, as regras são as seguintes:

  • Aceito pedidos em casamento, mas só por parte de mulheres vacinadas;
  • Declarações de amor;
  • Propostas de trabalho;
  • Qualquer comentário sobre este site, do que leram ou viram...
  • Estou neste momento a procura de um gatinho, quem tiver um para dar, também pode os seus dados :P

Por isso, só me falta dizer: Força nos comentários, aqui estarei eu para ler e saborear os vossos dizeres :) *

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 17/11/06 05:23

Levaste tudo, menos o meu coração. Ficou a porta de casa, sozinho sem nada para o proteger.
Olhei para ele... Nem parecia meu, de tanto golpes que tinha sofrido, de tão negro que estava... Perguntei-lhe como é que tinha acontecido. Sem forças e cansado respondeu-me que tinha acreditado, que os seus sonhos lhe tinham levado num mundo fantástico e inesquecível. Mas o sonho foi de pouca duração, alguém entrou no meu sonho e o paraíso virou inferno.... Caí, fui esmagado, maltratado, castigado e renegado.
Num momento de profundo de mágoa  não pude deixar de o levantar do chão, e aquecer-lhe com as minhas mãos deixando cair uma lágrima...
Disse-me ele, num murmúrio suave: “os meus golpes e os meus ferimentos não são nada em relação ao que poderia ter vivido... Fui vencido, mas adorei o que vivi....

Neste momento, os meus olhos cheios de lágrimas deixaram de te dizer amo-te.... Não porque não sinto, mas porque não queres saber....



Anda coração... Vamos para casa....
Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 15/11/06 14:23

Chegou! Após S.Fransico, Milão, Paris é a vez de Lisboa de acolher o "starwars tour". Algo de pouco comum em Portugal, finalmente podemos ver e tocar objectos da fantástica saga.
Após a desilusão do SITIC no sábado, o meu objectivo agora é juntar-me ao lado negra da força num passeio ao mundo de Georges Lucas, apreciando esta oportunidade única.

Lisboa, belém, 15:30, tudo normalíssimo, carros a procura de estacionamento e arrumadores para facilitar o trabalho (ler esta última parte com "tom" irónico :P), um carro saí, o meu entra... Não me posso esquecer de nada: 10€ para a entrada, chaves do carro e claro a minha máquina fotográfica!.
Com cerca de 100 pessoas a minha frente apenas para poder pagar, nada me sobrava a não contemplar este fantástico edifício que serviu em tempos de central eléctrica, ouvir as conversas dos outros, o tal que queria ver o fato do DARK VADOR (sim sim... era mesmo DARK LOL), a família  perfeita com  o filho de 10 anos com roupa da Quebramar, o corte de cabelo estilo beto (huum.... talvez até era um betinho... :P) etc... Meia hora a espera, e finalmente vou poder trocar a minha nota de 10€ por um lindo cartãozinho de entrada para a exposição.

A entrada é feita com o acompanhamento do John Williams e a inconfundível música presente nos 6 filmes, que rapidamente nos leva para o mundo starwars. O sentido das setas leva-nos a descoberta do mundo da saga com painéis explicativos de cada um dos objectos presentes. Roupa, modelos, peças originais, desenhos, pedaços de filme, miniaturas etc... Apesar de ter um "sentido" recomendado, o passeio é feito de forma agradável e calma, o tempo pára ao olhar para a roupa original do Obi-wan Kenobi (Ewan Mc Gregor), Qui-gon-Jinn (Liam Neeson) ou mesmo Darth Maul. Comparar o tamanho real entre o R2D2 e o C3PO é algo que muitos encararam a necessidade de serem fotografados juntos a eles. Sentir o Wookie mais conhecido do mundo, ficar de gelo frente ao stormtrooper e claro, petrificar-se e ajoelhar-se frente ao grande Darth Vader! Este último sem dúvida representa a peça chave desta expo. Um momento único.... A parte final era realizada através da apresentação de um pequeno filme sobre os efeitos gráficos da ILM, e como eram gerados os gráficos tridimensionais, apesar de ser curto era relativamente sucinto para o  leigo  da  saga entender alguma coisa.

Conclusão: uma tarde muito bem passada, uma experiência única para qualquer fã de Starwars que se preze, uma forma de passar o tempo e descobrir ou re-descobrir para os outros. Aconselho vivamente a visita, não apenas pelo conteúdo mas como também pelo lugar em si, visto o ambiente da antiga central combinar perfeitamente com o estilo Starwars! Recordo que a exposição ainda está em funcionamento e estará até dia 14 de Janeiro 2007.


A entrada da exposição.


Jango Fett


Darth Maul


Master Yoda


R2D2


C3PO


O Pod Racer do Anakin Skywalker


Stormtrooper


Anakin Skywalker AKA Darth Vader


E finalmente, um dos muitos desenhos originais.

Sítios para serem vistos, não porque os ponho no meu, mas sim porque valem a pena:
- Notícia do publico.pt
- Notícia no jornal SOL
- lxjovem
- wikipedia !


Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 06/11/06 02:02

Anunciada há tanto tempo, já esperava o SITIC  há algumas semanas. Sábado resolvi descobrir com os meus próprios olhos qual era realmente o sentido desta feira.
Estava a espera de coisas novas, avanços tecnológicos com demonstrações, stands estrangeiros com serviços e produtos não vistos em Portugal e claro alguns stands a venderem serviços...

A primeira impressão foi relativamente boa, visto a entrada da FIL estar completamente cheia de carros, algumas filas de transito depois, consegui encontrar o meu lugar de estacionamento (que por sinal ficou muito próximo da entrada) :P
Só no interior é que entendi a dimensão do SITIC, 2 pavilhões unicamente dedicados a Feira! Dois preços: 4€ para visitantes e 15€ para profissionais. Com subtileza e amabilidade perguntei a senhora da caixa o quê que motivava tanta discordância no preço, a qual me respondeu que existia uma "sub-feira" apenas reservada aos profissionais, com stands específicos etc... Como o dinheiro era pouco, a minha entrada foi validada como "puro e mero" visitante, olhos com os quais irei descrever um pouco mais sobre esta feira.

Esta feira é essencialmente composta de stands, com mais stands e stands aqui ali espalhados pelo universo da feira
. Mal é efectuado o primeiro passo dentro da feira, deparamos com projectos do e-gov (governo virtual) com projectos como o portal do emprego, cidades digitais, apresentação do projecto "ligar portugal", um stand para criação do Passaporte digital entre outras coisas. Pouco depois vinha a famosa sub-feira reservada aos profissionais... Mas afinal o quê que tinha de tão especial? Essencialmente nada... Apenas empresas a oferecerem serviços num ambiente "mais calmo" que os tradicionais stands. E pouco mais no pavilhão 1... Bem, ainda me sobra muita coisa para ver pensei eu.... La caminhei para o segundo pavilhão quando me deparo com um "stand" (se assim o poderemos chamar) do ministério do interior com uma demonstração do arsenal: armas, protectores, Subaru Impreza WRX, SEAT LEON kitado, motinhas, cabines de vigilância (tipo Austin Power) em soma, todas as últimas aquisições da policia para enfrentar os criminosos...

Finalmente, após a viagem ao mundo da policia, encontro-me no segundo pavilhão! AAAH, Música, barulho, gente, luzes, coisas suspensas! Isto vai ser giro pensei eu....  Plasmas, monitores, computadores xuning's, ratos, X-BOX 360, equipamento digital etc... TUDO A VENDA! Pois é amiginhos, a SITIC deveria se chamar FITIC, ou seja Feira Internacional das Técnologias da Informação e das Comunicações... Ninguém que mostrasse realmente algo de novo, stands como por exemplo da AMEN a tentar vender alojamento, empresas a venderem serviços, Livros, computadores, impressoras, PDA's... O stand da PCGUIA com uma pin-up' a fazer barulho atraindo as massas com golpes de perna ousados e berros que por momento me fez lembrar a doca de pesca de Matosinhos. Também havia a empresa que vende o SEAGWAY em Portugal com demonstrações e filas de mais 40 pessoas, stands gratuitos onde podiam jogar PES 6 na X-BOX 360, um BMW Z3 suspenso.... Mais.... ? Bem, a verdade é que e  pouco mais... O pavilhão 2 não era assim tão grande! Bolas pensei eu... 4€ para levar com publicidade destes cromos? Mas nem tudo foi assim tão mau na SITIC. Também encontrei algumas coisas dignas de se falar como por exemplo um dos stands da IBM (sim, porque eles tinham dois...) onde poderíamos ver os primeiros computadores, impressoras e servidores da marca. Coisas mesmo antigas, parecia o museu IBM, mas dentro da SITIC, outra coisa que valeu a pena, foi ver empresas como a RUMUS ou RESTART a informar sobre os cursos (ok, ok acaba por ser um serviço, mas é diferente, ao menos tinham cursos interessantes e inovadores, não como aquele stand da logitech que só vendia ratos e volantes...). E pouco mais... Tanto barulho para uma coisa destas...

conclusão: valeu a pena (sim sim... vale sempre a pena! :P ), foi uma experiência agradável apesar de estar preparado para ver outras coisas, para "aprender" alguma coisa. Aprendi pouco, não porque já sei muito, mas sim porque não havia muito para aprender. Apesar de terem existido algumas palestras com MUITO pouca divulgação. Creio que o inesperado tornou-se um dos melhores da festa: a apresentação das tecnologias do Min. do Interior.
Antes de terminar este texto, aqui vão algumas fotos:


A entrada do pavilhão 1


O "tal" Subaru da BT (dos vários que andam por aí)


x-box 360 com direito a testar o novo PES 6


O tal museu da IBM

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 06/11/06 01:19


Tudo na vida é uma questão de rotas, de destinos incapazes de não se cruzarem um dia, separarem-se no dia seguinte, e talvez encontrarem-se ao longo da vida. E que tal fazer uma autoestrada e assim juntar dois caminhos, dois destinos.... Talvez durante uma vida, um ano, um mês, uma semana, um dia, um momento....

Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 04/11/06 01:14

Antes do verão já vos falava da web2 e agora é essa palavra que está nos teclados da comunidade cibernética. Todos os dias temos novos sites que se dizem web2, e outros tantos que fechem(ver está página http://www.postbubble.com/category/sinking/) Já aqui perguntei o que era web2, mas o que é realmente importante perguntar é para que serve, e será que “nos serve” para alguma coisa?

Na prática SIM, claro que serve. Vejam a quantidade de sites que se dizem web 2 (http://www.econsultant.com/web2/index.html) a maioria deles são realmente úteis na medida em que permitem uma verdadeira interactividade com a página web e em alguns casos com os utilizadores deste último. Mas então perguntarão então: “mas porque voltar a falar de web 2 se já falaste, e se já mostraste que é “fixe” e que agora dizes que é “útil”? E fazem bem perguntar! A questão está na “moda”, há 4 meses web 2 é para pros! Quem fizesse um site em web 2 era um gajo mesmo MUITO bom, o problema é que como nunca se definiu ao certo o que é ou não é web 2, rapidamente tudo passou a ser web 2, e agora web 2 não é só e apenas o simples e pequeno exemplo que expliquei a uns meses mas sim uma quantidade enorme de “conceitos”. Poderei dizer que o meu site está quase “web 2 compilant” (porque integra tecnologias típica dos sites  web 2), no entanto é simples sites em PHP como sempre o fiz! Mas há mais caros amigos! Sim, sim... Antigamente para fazer sites a quantidade de conhecimentos era vasta, hoje em dia cada vez mais os requisitos são impossíveis de alcançar, não porque é complicado, mas sim porque abrange uma gama tão alargada de matérias que rapidamente torna a criação de páginas web um assunto elitista. Claro que existirá sempre os frontpages e Dreamweaver's para ajudar “a malta”, no entanto a diferença entre um trabalho executado por um profissional e um amador, tem tendência em ser cada  vez mais abismal.
Tudo começou no blog do Pedro Garcia (http://blog.tquadrado.com/?p=36), que de um outro “blog”. Não vou fazer o mesmo, apenas irei apontar um comentário em particular para exemplificar  a minha teoria acima referenciada que encontrei no post  no zeldman.com  (http://www.zeldman.com/2006/10/17/web-20-thinking-game/) onde no meio dos 500 e tais comentários sobre as diferenças entre o web 1.0 e web 2.0 encontrei esta pérola:

Web 1.0 - Looking for an experienced designer. Must be able to design and implement websites using HTML, CSS. Knowledge of Javascript a bonus.
Web 2.0 - Looking for an experienced designer. The candidate must be affluent in XHTML, CSS, Javascript, DHTML, AJAXY GOODNESS, Ruby on Rails, PHP, JSP, SQL, MySql, ASP.net, XML, Actionscript (2.0 and 3.0), Adobe CS2 products, Dreamweaver, Coldfusion, Quark, eCommerce, SEO, linux, unix, IIS.

Claro que poderá encontrar uma grande quantidade de outros exemplos que poderão ajudar em entender as novas tendências na Internet, algumas tem algum sarcasmo mas outras são perfeitamente válidas.... Mas mesmo com tudo isto, o preço dos sites foi cortado por 10, o que custava antigamente 200 contos, custa agora 200€, e como a empresa factura menos, também recebe-se menos, com uma quantidade superior de conhecimentos.... Aie mãe, se soubesse ia para consultor....


Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 01/11/06 03:17

  ÚLTIMO MÊS: Agosto 2011

  Sobre.Pessoas.pt (21/08/11)
  Pensamento.dia.em.pleno.Agosto.pt (18/08/11)
  E foi assim que... (18/08/11)
  Julho.em.Imagens.2011 (18/08/11)

  TEXTOS EM ALTA!

  iPhone5 - my predictions.com (07/03/11)
  parvo.que.sou.pt (22/02/11)
  2G,3G,4G e agora 5G! (08/02/11)
  Novo.Projecto:Pedra-alta.com (01/02/11)
  website.updates-status-v1.pt (30/01/11)



FOTOGRAFIA ALEATÓRIA: Desespero

Desespero

Ruben... Quem sou? Nascido em Novembro de 1980, Sagitáriano puro e duro com ascendente Aquário. Sou canhoto, adoro arte, computadores, fotografia, redes, programação, design, música. Odeio futebol, bacalhau e injustiça.

Neste momento sou um Jovem de 30 anos, curioso pela vida, curioso por tudo o que mexe, tudo que respira, que faça ruídos. Encanto-me facilmente com uma gota de água a bater no vidro mas não fico impressionado com um Ferrari. Gosto das coisas simples da vida, um olhar, um sorriso, um simples gesto. Adoro amar, como gosto de ser amado. Não troco o meu leitor DVD por uma PlayStation, no entanto trocaria um filme por uma bela fotografia.

Não sou complexo, apenas perplexo... tudo depende do ponto de vista.

[...] Farto de escrever... | pausa II

~~~


No meio de tudo isto, tenho este lugar cibernético. Um recanto pontualmente actualizado, apontado como um blog, mantenho a minha ideia que antes de ter esta pretensão, considero que é antes de mais nada um simples sítio web onde escrevo, descrevo, apresento, coloco perguntas, dúvidas e afirmações. Com os textos, coabitem vários espaços representativos do meu Espaço.

Talvez seja o lugar mais sensato para me conhecer... Ou pelo menos, iniciar-se nesta longa viagem que é o meu Ser...
[...] Farto de escrever..| stop .

Correio.electrónico:
mail AT ruben-alves PONTO com

Telefone:
919.181.***

A minha Página no Twitter.


creative commons