class main AboutMe { exec(); }
Como bom administrador de sistemas que sou (cuf cuf cuf...) conheço relativamente bem os tipos de ligação a Internet que existem no mercado, como funcionam (autenticação, camadas protocolares etc...) no entanto sou um zero absoluto no que diz respeito em saber qual dos pacotes escolher entre um SAPO ADSL, TVTEL, Netcabo, Clix entre tantos outros... E porquê? Simplesmente porque não ando a consultar os sites deles em busca de novos serviços, mais largura de banda etc... Estou muito satisfeito com a minha ligação (que por sinal é da Netcabo), considero que para acesso pessoal a Internet 1Mb em downstream com 256Kb em upstream é o suficiente para qualquer utilizador comum (tirando os leechers, leia-se p2p addicts). Por isso no que diz respeito a largura de banda, sei perfeitamente que a velocidade contratada pelo operador pode variar. Por exemplo, uma ligação ADSL varia imenso consoante a distância em que se encontra o equipamento com o comutador local. O mesmo acontece com o Cabo, que dentro do mesmo prédio, podemos ter tipos de ligação diferente, apesar do serviço contratado ser igual. Tudo isto não está apenas relacionado com a largura de banda física até ao ISP. Caso prático, numa ligação tradicional a Internet (leia-se páginas web), a diferença de velocidade pode ser ainda mais absurda, porque tudo depende do servidor ao qual nos ligamos para ver x ou y página. Por exemplo, qualquer ligação nacional vai poder navegar na página do sapo.pt relativamente rápido (porque há poucos routers entre o cliente e o servidor), no entanto, no caso de uma ligação a servidor Japonês, o tempo de demora pode duplicar, triplicar ou mais... Exemplificado com um simples ping, onde é importante relacionar o domínio com o país, e claro as distâncias.
Aqui no caso da Netcabo:

ruben@aioros:~$ ping -c 1 www.netcabo.pt
PING www.tvcabo.pt (212.113.174.13) 56(84) bytes of data.
64 bytes from www.netcabo.pt (212.113.174.13): icmp_seq=1 ttl=123 time=14.1 ms

--- www.tvcabo.pt ping statistics ---
1 packets transmitted, 1 received, 0% packet loss, time 0ms
rtt min/avg/max/mdev = 14.186/14.186/14.186/0.000 ms



E agora no caso do site da Nintendo (japão):

ruben@aioros:~$ ping -c 1 www.nintendo.co.jp
PING www.nintendo.co.jp (210.138.40.24) 56(84) bytes of data.
64 bytes from 24.40.138.210.wd.2iij.net (210.138.40.24): icmp_seq=1 ttl=42 time=311 ms

--- www.nintendo.co.jp ping statistics ---
1 packets transmitted, 1 received, 0% packet loss, time 0ms
rtt min/avg/max/mdev = 311.274/311.274/311.274/0.000 ms



Ainda há pouco falava em duplicar ou triplicar, aqui a diferença entre o tempo de resposta é de 22 vezes superior para um servidor Japonês. Ou seja, enquanto mais longe, mais tempo. E não é só tempo, como também menos largura de banda! Porque cada router tem a sua própria capacidade de comutação, a sua própria rota (que pode variar consoante o tipo de pacote, carga,  políticas dos ISP etc..), claro aumentando o número de routers, as probabilidades do tempo de espera são maiores. E claro, tudo isto com o mesmo modem e ligação a Internet.
E então, como medir a largura de banda disponível? A resposta é simples: não podem! Porque existem demasiadas variáveis, definir um valor certo é simplesmente impossível. No entanto, o que se pode é medir ponto a ponto, com aqueles medidores de largura de banda disponíveis na internet (ex: www.speedtest.net que incluí um servidor Português) ou então, se quiserem dados mais precisos,  sempre podem usar ferramentas mais apropriadas, como o iperf.

Iperf, é uma aplicação em modo texto que corre do lado do servidor e do lado do cliente, para isso, basta que cada um dos computadores tenha o iperf instalado e que cada um corra o seu programinho.

Em Ubuntu a instalação é tão simples que até passa de comentários:

ruben@aioros:~$ sudo apt-get install ipref

Em Windows, terão que se dirigir até ao site deles e fazer o download do programa. Nem precisa de instalação, basta correr o .EXE que irá colocar o executável no seu computador. Depois é só chamar o iperf.exe

Vamos la exemplificar isso, primeiro abro o iperf do lado do servidor:

ruben@pegasus:~$ iperf -s


Depois, basta correr o cliente em qualquer máquina:

ruben@aioros:~$ iperf -c pegasus
------------------------------------------------------------
Client connecting to pegasus, TCP port 5001
TCP window size: 16.0 KByte (default)
------------------------------------------------------------
[  3] local 192.168.171.2 port 47936 connected with 192.168.171.1 port 5001
[  3]  0.0-10.1 sec  5.57 MBytes  4.64 Mbits/sec


O resultado aparece de forma resumida, neste caso a largura de banda entre os pegasus (servidor) e o aioros (cliente) é de 4,64Mbits/sec. De forma a mostrar as diferenças entre o tipo de ligação, o aioros está neste momento ligado via wifi, colocado há cerca de 10 metros, com 3 paredes a separar o AP com o computador. Logo, mesmo que tenha 20Mbits para a internet, o computador aioros nunca irá passar dos 4.65Mbits. O próximo exemplo, mostra uma máquina em windows XP, com ligação normal com cabos RJ45 directamente ligados ao switch.

C:\Documents and Settings\ruben\Ambiente de trabalho\iperf>iperf.exe -c 192.168.171.1
------------------------------------------------------------
Client connecting to 192.168.171.1, TCP port 5001
TCP window size: 8.00 KByte (default)
------------------------------------------------------------
[1912] local 192.168.171.9 port 2060 connected with 192.168.171.1 port 5001
[ ID] Interval       Transfer     Bandwidth
[1912]  0.0-10.0 sec   102 MBytes  85.3 Mbits/sec



Como podem ver, a diferença mais uma vez é colossal, é cerca de 18 vezes mais rápido usar uma ligação com fios do que sem. E tudo, com a mesma ligação ao computador.
Espero que estes pequenos exemplos, tenham conseguido mostrar o quando o conceito de largura de banda é relativo, e no fundo não significa grande coisa de forma global, mas sim apenas é uma medição momentânea, entre dois pontos, sujeita a variações, logo controversa.
Sem comentário, seja o primeiro! | Publicado por Ruben Alves @ 18/01/08 04:29
Escrever um comentário ao texto: "Network.Performance.iperf"
Nome*:
E-mail*:
Página web
(não obrigatório):
"Quanto dá dez mais Catorze"
(Resposta: 20,22 ou 24?)*:
Mensagem*:


  ÚLTIMO MÊS: Agosto 2011

  Sobre.Pessoas.pt (21/08/11)
  Pensamento.dia.em.pleno.Agosto.pt (18/08/11)
  E foi assim que... (18/08/11)
  Julho.em.Imagens.2011 (18/08/11)

  TEXTOS EM ALTA!

  iPhone5 - my predictions.com (07/03/11)
  parvo.que.sou.pt (22/02/11)
  2G,3G,4G e agora 5G! (08/02/11)
  Novo.Projecto:Pedra-alta.com (01/02/11)
  website.updates-status-v1.pt (30/01/11)



FOTOGRAFIA ALEATÓRIA: Desespero

Desespero

Ruben... Quem sou? Nascido em Novembro de 1980, Sagitáriano puro e duro com ascendente Aquário. Sou canhoto, adoro arte, computadores, fotografia, redes, programação, design, música. Odeio futebol, bacalhau e injustiça.

Neste momento sou um Jovem de 30 anos, curioso pela vida, curioso por tudo o que mexe, tudo que respira, que faça ruídos. Encanto-me facilmente com uma gota de água a bater no vidro mas não fico impressionado com um Ferrari. Gosto das coisas simples da vida, um olhar, um sorriso, um simples gesto. Adoro amar, como gosto de ser amado. Não troco o meu leitor DVD por uma PlayStation, no entanto trocaria um filme por uma bela fotografia.

Não sou complexo, apenas perplexo... tudo depende do ponto de vista.

[...] Farto de escrever... | pausa II

~~~


No meio de tudo isto, tenho este lugar cibernético. Um recanto pontualmente actualizado, apontado como um blog, mantenho a minha ideia que antes de ter esta pretensão, considero que é antes de mais nada um simples sítio web onde escrevo, descrevo, apresento, coloco perguntas, dúvidas e afirmações. Com os textos, coabitem vários espaços representativos do meu Espaço.

Talvez seja o lugar mais sensato para me conhecer... Ou pelo menos, iniciar-se nesta longa viagem que é o meu Ser...
[...] Farto de escrever..| stop .

Correio.electrónico:
mail AT ruben-alves PONTO com

Telefone:
919.181.***

A minha Página no Twitter.


creative commons